Como a engenharia digital pode gerar as credenciais de sustentabilidade da indústria química?

A indústria química está sob pressão cada vez maior para promover a circularidade e cumprir metas ambientais rígidas. Novos produtos sustentáveis deixaram de ser apenas desejáveis e passaram a ser essenciais para o setor atingir as metas de sustentabilidade e, ao mesmo tempo, permanecer rentável. Muitas empresas químicas têm processos com mais de setenta anos, que foram otimizados ao longo de décadas. O desafio agora é desenvolver novos processos que sejam ainda mais eficientes do que os anteriores e que também resolvam as questões de sustentabilidade: aumentar o conteúdo reciclável e reduzir as emissões e o desperdício.

A inovadora Eastman Chemicals tem mais de cem anos e desenvolveu a fábrica digital do futuro muito antes da pandemia. A Eastman investiu em uma plataforma chamada SEIGA (acesso global integrado e contínuo para EPCom) para substituir os documentos antigos de engenharia por um sistema baseado em dados e fornecer às equipes o acesso instantâneo a dados precisos, confiáveis e seguros, o que aumentou a colaboração, a agilidade e a eficiência. A mudança, que agora está sendo implementada em todo o mundo, orienta as decisões em toda a cadeia de valor. Com os níveis mais altos de eficiência obtidos, a equipe de engenharia da Eastman utiliza a SEIGA para:

  • Aumentar constantemente o conteúdo reciclável dos seus produtos;
  • Reagir rapidamente às novas demandas do mercado por meio da produção de novos processos e produtos dentro das metas de sustentabilidade;
  • Transferir uma planta digital confiável para as operações.

Saiba mais sobre a história da Eastman

A transformação digital é a chave para projetar a planta química do futuro.

Com o intuito de serem mais eficientes e sustentáveis, as empresas químicas e seus parceiros de EPC (engenharia, aquisição e construção) podem entregar projetos de capital de forma mais rápida e econômica, por meio da digitalização de projetos greenfield e brownfield e de operações para promover o desempenho ideal. Foi demonstrado que a utilização de uma estratégia de gêmeo digital confiável desde as fases iniciais dos projetos reduziu pela metade o tempo no estágio de projeto de engenharia de front-end (FEED) e reduziu os esforços de simulação em 50%. Nas operações, a linha de execução digital retorna à engenharia para informar possíveis melhorias de processos e otimizar os projetos de manutenção e brownfield.

Comece a construir a planta química do futuro agora mesmo

No centro da criação de um gêmeo digital confiável está uma abordagem concentrada em dados baseada no gerenciamento de informações de engenharia confiáveis. Ela coleta e verifica todos os dados do projeto desde o início e conecta os dados de engenharia em 1D, 2D e 3D, identificando-os com os ativos relevantes da planta. Para projetos brownfield, as informações existentes podem ser digitalizadas e complementadas com uma digitalização a laser da planta, para disponibilizar rapidamente um modelo 3D preciso no estado em que se encontra. Com dados confiáveis na ponta dos dedos, os engenheiros podem testar, repetir e melhorar várias vezes, o que permite acelerar os ciclos de desenvolvimento de produtos e otimizar os processos.

O gêmeo digital habilitado para nuvem alinha todas as equipes e disciplinas em torno de uma única fonte de dados confiáveis. Ele oferece visibilidade de ponta a ponta do projeto de capital, integrando as áreas e promovendo uma cultura de colaboração e inovação confiáveis. Dessa forma, há uma redução nos riscos, nos recursos desperdiçados e no tempo de inatividade não planejado, há melhoria na tomada de decisões e a possibilidade de surgir uma instalação sustentável.

Por meio da conexão dos trabalhadores, da tomada de decisões e dos fluxos de trabalho aprimorados na nuvem, os EPCs e os operadores proprietários podem ter maior controle sobre a execução do projeto. E, com menos tempo perdido na resolução de problemas urgentes do dia a dia e na pesquisa e verificação dos dados, os engenheiros podem voltar a atenção para a inovação e o desenvolvimento de processos e produtos sustentáveis.

Outro aspecto fundamental para obter uma planta química sustentável é ter uma representação precisa de seu comportamento. A simulação multifuncional de processos possibilita que os engenheiros de processos analisem facilmente sistemas complexos, além de introduzirem novos processos. A nova geração de simuladores de processos permite uma comparação muito mais rápida de diversos cenários com base nos resultados desejados, desde ganhos de eficiência, melhorias de segurança, impacto de carbono, até encontrar o equilíbrio perfeito entre os três. Essas informações revelam as fases posteriores de engenharia para garantir que a planta ideal seja projetada. Munidos de informações confiáveis de simulação que podem ser efetivamente atualizadas ao longo do ciclo de vida, os engenheiros de processos podem transformar o modo de resolver os problemas e se tornarem mais produtivos, colaborativos, criativos e inspirados.

Os operadores da indústria química têm a oportunidade real de transformar não só a entrega dos projetos, mas também as próprias plantas. A planta do futuro será sustentável, com todos os aspectos otimizados digitalmente para reduzir o impacto ambiental e melhorar o desempenho. A criação de um gêmeo digital confiável desde o projeto e que utilize o software industrial mais recente para integrar todas as fases do projeto será fundamental para atingir esses objetivos.

Está preparado para aprender mais sobre como projetar a planta química do futuro? Explore a página central da planta do futuro.


Inscreva-se para receber informações atualizadas

Inscreva-se em nosso newsletter informativo e receba todas as informações mais recentes, diretamente da fonte.

Inscreva-se hoje mesmo